Domingo, 23 de Abril de 2017
Publicidade
Notícia / Brasil
Postado em 27-06-2016 às 22:57
Peritos do Senado não encontram ação de Dilma em pedaladas fiscais


Peritos do Senado não encontram ação de Dilma em pedaladas fiscais
Relatórios feitos por técnicos da Casa periciaram auditoria do TCU a pedido da presidente afastada. Documento aponta que houve irregularidades nos créditos e nas pedaladas IG Brasília - Uma perícia realizada a pedido da comissão do impeachment do Senado disse não haver controvérsia com relação ao fato de a presidente afastada Dilma Rousseff ter agido para liberar créditos suplementares sem o aval do Congresso, manobra considerada irregular que embasou o pedido de impeachment aceito para julgamento pelos parlamentares. A perícia teve dez dias para responder a 99 perguntas tanto da defesa quanto da acusação. O laudo final consta de 224 páginas e divide a análise dos atos da presidente entre os quatro decretos analisados no processos e as operações de crédito realizadas relativas ao Plano Safra, conhecidas como pedaladas fiscais. Segundo os documentos, no entanto, não teria sido identificada ação da petista nas "pedaladas fiscais". Dilma agiu para liberar crédito, mas não em pedaladas, diz perícia feita pelo Senado Foto: Roberto Stuckert Filho/PR Na avaliação dos técnicos — servidores do Senado — João Henrique Pederiva, Diego Prandino Alves e Fernando Álvaro Leão Rinco, três dos quatro decretos de crédito em análise "promoveram alterações na programação orçamentária incompatíveis com a obtenção da meta de resultado primário vigente à época da edição", e contaram com "ato comissivo" de Dilma. Para eles, esses créditos deveriam ter tido "autorização prévia" do Congresso. O laudo, entretanto, diz não identificar ação da presidente afastada nas chamadas "pedaladas fiscais", realizadas a partir do atraso nos pagamentos referentes ao Plano Safra. "Pela análise dos dados, dos documentos e das informações relativos ao Plano Safra, não foi identificado ato comissivo da Exma. Sra. Presidente da República que tenha contribuído direta ou imediatamente para que ocorressem os atrasos nos pagamentos" diz o documento. A conclusão diz, no entanto, que a demora no pagamento do plano agrícola viola a Lei de Responsabilidade Fiscal: "Os atrasos nos pagamentos devidos ao Banco do Brasil constituem operação de crédito, tendo União como devedora, o que afronta ao disposto no art. 36 da LRF". O laudo, em relação às pedaladas, deve ser usado pela defesa de Dilma para reforçar o argumento de que ela não cometeu crime de responsabilidade. A edição dos decretos com crédito suplementar e os atrasos nos pagamentos embasam o processo de impeachment de Dilma, que levou ao afastamento dela da Presidência da República. Próximos passos Nesta terça-feira, defesa e acusação poderão pedir esclarecimentos sobre a perícia. Os técnicos terão até a próxima sexta, dia 1º, para responder aos questionamentos. A junta de peritos deve ser ouvida pela comissão no próximo dia 5. Pelo cronograma, Dilma poderá depor no colegiado no dia 6 de julho. Ela não é obrigada a comparecer e pode ser representada pelo seu advogado, o ex-advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo. Em seguida, começa a contar os prazos das alegações finais.


Por: Redação com o Dia
O utilizador reconhece e aceita que o ConexãoNotícias.com, apesar de atento ao conteúdo editorial deste espaço,não exerce nem pode exercer controle sobre todas as mensagens. O CONEXAO NOTÍCIAS não se responsabiliza pelo conteúdo de mensagens publicadas nos comentários de notícias e geral.
Comentários
Compartilhando
Publicidade
Sua Opinião | Enviar a sua
na cidade de franca estamos com problemas na area da saude por falta de médicos ... [ler +]
Euripa - em 26/03
MENSAGEM DE PARABÉNS AO PROFESSOR José Mário Dantas pela Pasta da Secretaria da ... [ler +]
Professora Newman Maria pinheiro Alcântara. - em 23/03
300 mil acs em greve, será que funcionaria? ... [ler +]
Regina - em 29/01
descazo total ... [ler +]
danilo - em 13/10
descazo total ... [ler +]
danilo - em 13/10
Charges
Publicidade
Conexão Notícias © 2012. Todos os direitos reservados.
Proibida reprodução ou utilização a qualquer título, sob as penas da lei.